Arquivo para a Tag ‘Romance

A MENINA QUE TINHA DONS   3 comments

Olá Galera do Livros com Pipoca, resenha do livro A MENINA QUE TINHA DONS da autor M.R.Carey, publicado pela Editora FABRICA231 (ROCCO).

A MENINA QUE TINHA DONS

Sinopse: Num futuro distópico, em que a maioria da humanidade foi exterminada, um grupo de crianças vive confinado numa base militar. Todas as manhãs elas aguardam em suas celas o sargento Parks vir com uma arma apontada e mais dois de seus homens para afivelá-las — tornozelos, pulsos e pescoço — à cadeira de rodas que as levará para a aula. Certa vez, Melanie, a mais inteligente delas, brincou dizendo que não iria mordê-los. Ninguém riu. Sabiam que o cheiro de carne humana era o estopim para que ela perdesse o controle e entrasse num estado de muita, muita “fome”! Eis a premissa de A menina que tinha dons, original e emocionante thriller de horror de M.R. Carey, prestigiado roteirista de HQ’s de sucesso, como Hellblazer e X-Men, título que inaugura o Fábrica231, novo selo de entretenimento da Editora Rocco.
 

Leia o resto deste post »

Dica de Livros: Pedras Negras (Cesar Luis)   3 comments

Olá Galera do Livros com Pipoca!!!

A dica de livros de hoje vai para um livro muito legal, Pedras Negras do autor Cesar Luis. O livro publicado pela Editora Filhos do Vento conta a história de três amigos que acabam entrando em uma aventura alucinante nas terras do Peru e da Bolívia, onde precisarão descobrir um segredo milenar que poderá mudar a história do início da humanidade que conhecemos!!!
Segue abaixo a sinopse e o booktrailler:

livro-digital_668418-g

Sinopse: A normalidade da vida sempre é quebrada por algum fato insólito e esse, seja qual for sua natureza, nos coloca em movimento por reação. São situações que não esperamos conscientemente, que não temos nenhum controle, mas que fazem parte integrante do misterioso “porquê” de nossa existência.
Fernando Eastman é um rapaz da ciência e da razão que se envolve apaixonadamente numa jornada repleta de situações impossíveis em terras do Peru e Bolívia. Acompanhado de Rico e Lia, ele é desafiado por mistérios, conspirações e intrigas envolvendo uma antiga lenda pré-Inca, crânios alongados, outlanders e poderes ocultos. É preciso encontrar um livro. Esse livro encerra um dos maiores segredos da história humana e esse segredo não pode vir à tona.
O grupo de amigos se envolve numa aventura que não desejavam, não imaginavam sequer ser possível, mas que, devido às circunstâncias, irresistivelmente se deixaram envolver. Tudo numa corrida frenética para revelar a verdade sobre a vida no planeta Terra. Seu objetivo é fazer com que essa Verdade, ou pelo menos parte dela, possa ser entregue à Humanidade.
É uma busca para corrigir erros graves no pensamento humano que causam muito sofrimento. Uma narrativa cheia de surpresas, suspense e questionamentos.

 

O livro pode ser adquirido através do próprio site da EDITORA FILHOS DO VENTO.
Quem sabe no futuro não temos a resenha aqui!!!! Aguardem!!!
Abraços e beijos, Berma! 😉

Caixa de Correio!!!   8 comments

Olá galera do Livros com Pipoca!!!

Passando para mostrar para vocês a caixa de correio da semana passada!!! Podem esperar que terão ótimas resenhas aqui no blog!!!!

ivros da semana

 

Abraços e beijos, Berma! 😉

Publicado 16/03/2015 por Berma em Dicas de Livros, Minha estante, Romances

Etiquetado com , ,

Habitantes do Cosmos: Artemísia (Francélia Pereira)   1 comment

Olá Galera do Livros com Pipoca!!!

20150307_185212

Imagina chegar no fim de semana em São Paulo depois de uma semana dura de trabalho em Belo Horizonte e encontrar um presentão desses da autora Francélia Pereira??? Livro “Habitantes do Cosmos: Artemísia” acabado de sair do forno pela editora Buriti, com aquele cheirinho de livro novo!!!
Estava super ansioso para começar a lê-lo, pois além de ter uma enredo muito bacana, do estilo que eu gosto, é recheado de mitos da cultura brasileira e fala de temas muito atuais como ecologia e sexualidade.

Untitled-1

De cara já adorei a capa, bem moderna, já dizendo um pouco do enredo da história e com traços da cultura brasileira. No início de cada capítulo existe um pequeno poema que dá um toque mega especial para a leitura.
Segue abaixo somente a introdução do livro para vocês terem uma ideia da história:

6 - ARTEMISIA

“Em Habitantes do Cosmos: Artemísia apresento a personagem misteriosa do primeiro volume da séria.
No primeiro volume é mostrado o contexto geral, uma sociedade espalhada pelo sistema solar após a migração em massa que ocorreu devido a catástrofes e transformações na Terra, que tornaram impossível a sobrevivência da humanidade, senão, em pequenas ilhas de civilização, nas “Cidades Flutuantes”.
A história se passa em um futuro muito distante, mas sempre faz um link com o passado, desde o passado mais remoto até referências à nossa época atual; e segue até o grande êxodo terráqueo para todos os cantos do Sistema Apolo que podiam, de alguma forma, ser estáveis o suficiente para que a vida humana perpetuasse.
O contexto deste livro é o de uma sociedade que já havia superado as questões que envolvem a discriminação por gênero, raça ou pela expressão da sexualidade, há milênios, mas Artemísia nasceu em um grupo que preservava o machismo e o patriarcado. É uma história particular, como muitas que existem em nosso tempo, em que culturas diferentes convivem como se existissem em dimensões distintas; histórias em que seres humanos devem vencer o desafio de ser humano.”
Bom, agora é só viver essa aventura mais que especial!!! Depois coloco aqui a resenha!!!
Abraços e beijos, Berma! 😉

A Culpa é das Estrelas – John Green   1 comment

A CULPA E DAS ESTRELAS

Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer – a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.
Bom, primeiramente acho que fui a última pessoa a ler A Culpa é das Estrelas, do fofo e nerd (Como dizem por aí) John Green. Todo mundo dizia e contava spoilers sebre esse livro e, após o lançamento do filme nos cinemas, decidi que era hora de dar uma, e olha que o livri já estava na minha estante a mais de uma ano. Vou admitir que, apesar de ir contra a maré, eu não achei tudo isso, muito porque acredito ter criado uma expectativa muito grande sobre ele. O livro é ótimo, tem momentos muito bons, conversas sensacionais, ale de um tema interessante que fala sobre alguns valores sobre a vida. Mas definitivamente não é o melhor livro que eu já li desse tipo, na minha opinião.
Em alguns momentos senti uma correria sem necessidade e alguns momentos de tristezas e raivas foram forçados, mas esses itens não tiram a beleza e pureza da história de amor existente. Muitas pessoas que leram me disseram que choraram muito, confesso que, apesar de ser um chorão de carteirinha, não derramei nenhuma lágrima nessas páginas.
A Culpa é das Estrelas não fala nada de estrelas, só pra você saber. Ele conta a história de Hazel Grace, qure tem câncer e, segundo a definição dela própria, esse cÂncer que faz parte do corpo dela, assim como todo o resto. O câncer é só mais uma parte dela que luta para viver e ela não o culpa por isso. Ao contrário, ela tenta conviver e encarar tudo da melhor forma possível.
Visita um grupo de apoio, de onde surgem personagens super interessantes. O amigo cego, Isaac, que é sensacional (Para mim o melhor personagem da história). Aparece Augustus Waters, o Gus, que também tem histórico de câncer mas não tem nada nele visivelmente pra provar isso – Ele é o garoto lindo, aparentemente saudável, forte e engraçadona qual Hazel se apaixona, e resolve se entregar aos poucos e de forma simples, honesta e sem correrias (apesar do pouco tempo que eles têm nas mãos!) a esse amor.
A vontade de Hazel para saber como ficam os personagens do livro assim que ele termina é meio surreal, apesar de existirem muitos leitores como ela. Parece que colocou como objetivo da pouca vida que ela acha que tem e esforços não são medidos para conseguir suas respostas.
Não é um livro exatamente sobre o câncer. É um livro sobre descobertas e preconceitos, sobre formas de encarar a vida e amizades, sobre realizar desejos e correr atrás do que você quer, sobre viver e, ocasionalmente, sobre ter câncer. Porque, afinal, o câncer são eles mesmos. E, como todos os nossos problemas, defeitos e qualidades, temos que aprender a viver lado a lado com o que pode nos destruir.
O livro foi escrito por John Green, mas ele mesmo diz que não é baseado em fatos reais. Ele se inspirou em uma amiga, Esther Earl, que tinha câncer e faleceu alguns anos atrás. Mas nas primeiras páginas de A Culpa é das Estrelas, ele deixa bem claro que é um livro de ficção e o fato das pessoas ficarem buscando realidade nele só torna tudo mais chato e irrelevante. Para entender melhor, foi lançado A Estrela que Nunca vai se Apagar, que já está em todas as livrarias, e é tipo um diário de Esther. Vale a pena dar uma olhadinha!
E agora tem o filme também, ainda não assisti mas vou!
Abraços e beijos, Berma! 😉

O Menino da Mala – Nina Borg – Livro 01 – Lene Kaaberbøl, Agnete Friis   Leave a comment

O MENINO DA MALA

Sinopse: “Você adora salvar as pessoas, não é? Bem, aqui está a sua chance.” Mesmo sem entender o que sua amiga Karin quer dizer com isso, Nina atende seu pedido e vai até a estação ferroviária de Copenhague buscar uma mala no guarda-volumes. Dentro, encontra um menino de 3 anos nu e dopado, mas vivo.

Chocada, Nina mal tem tempo de pensar no que fazer, pois um brutamontes furioso aparece atrás do garoto. Será que ela está diante de um caso de tráfico de crianças? Sem saber se deve confiar na polícia, ela foge com o menino e vai à procura de Karin, a única que pode esclarecer aquele absurdo.

Quando descobre que a amiga foi brutalmente assassinada, Nina se dá conta de que sua vida está ameaçada e que o garoto também precisa ser salvo. Mas, para isso, é necessário descobrir quem ele é, de onde veio e por que está sendo caçado.

Neste primeiro livro da série da enfermeira Nina Borg, vendido para 27 países, as autoras Lene Kaaberbøl e Agnete Friis apresentam uma heroína que luta contra seus demônios e busca fazer justiça em meio à crueldade e à indiferença do mundo.
O Menino da Mala é o primeiro livro da série de aventuras protagonizada pela enfermeira da Cruz Vermelha e altruísta de Nina Borg, que sempre coloca os interesses dos outros à frente dos seus. Inclusive sua própria família, o que acaba lhe trazendo grandes problemas com o marido e os filhos. Mas, segundo ela mesmo diz, o que importa mesmo é ”salvar o mundo”.
O drama se inicia quando Nina recebe um telefone estranho de uma amiga de muito tempo que lhe pede para ir até a estação de trem da cidade para retirar uma mala de um dos armários.
No entanto, quando ela resolve abrir a mala ela se depara com um menino nu e dopado de aproximadamente 3 anos, o que a deixa muito assustada e apreensiva. De onde veio o menino, por quê Karin o entregou a Nina? E o pior, por quê ele estava dentro de uma mala em condições totalmente desumanas?
E é aí que se inicia o suspense de O Menino da Mala. Onde Nina inicia uma busca frenética atrás de informações para descobrir quem é esse menino, se ele tem família e o que teria acontecido com eles.
A narrativa é alternada entre os personagens e isso torna a leitura dinâmica, pois todos os pontos são ligados.
Para quem não abre mão de um suspense policial, este livro é uma ótima pedida, apesar de ainda ficar muito aquém das grandes obras de suspense policial, como Arthur Conan Doile ou Agatha Crhistie.
Ao meu ver, alguns capítulos foram claramente incluídos para prolongar a narração, tanto que fiz o exercício de reler o livro pulando vários capítulos e o entendimento e a sequencia da narrativa não sofreu nenhuma perda.
Outor ponto que não concordei, como a maioria das pessoas pelo o que li em outros blogs, é que, na comparação de Nina Borg com Lisbeth Salander, a primeira não passa nem perto da audácia e astúcia da segunda. Na minha opinião Nina deixou um pouco a desejar, principalmente nas decisões do que fazer com as informações que recebia. Talvez, nos próximos livros, quem sabe ela não se pareça um pouco mais com Lisbeth? Vou esperar para ver.
Abraços e beijos, Berma! 😉

As Guerras do Mundo Emerso – Licia Troisi   Leave a comment

Livro 01 – A seita dos Assassinos

seita-ass

“Um Anel para a todos governar…” Sob a ação em torno desse anel o professor britânico John Ronald Reuel Tolkien (1892-1973) apresentou para a posteridade a saga de O Senhor dos anéis, clássica trilogia de fantasia, considerada uma das melhores obras do século XX, conquistando gerações de escritores. O mestre inaugurou um gênero que tem em suas fileiras nomes como Frank Herbert, Terry Pratchett, J.K. Rowling e que cresce a cada ano. Entre as mais recentes narrativas, a italiana Licia Troisi estreou com o mundo fantástico de Crônicas do Mundo Emerso, trilogia que usa alguns arquétipos tolkinianos, como um antagonista conquistador de terras e maculador de almas ou os protagonistas,jovens que vivem seus dilemas enquanto passam por uma jornada de aventuras e perigos, mas que também utiliza outros artifícios para prender a atenção de seus leitores, numa linguagem sensível que une o enredo lúdico de ação com a abordagem psicológica do conflito interior de seus dois protagonistas adolescentes.

Continuando a temática, Troisi constrói em sua nova trilogia, Guerras do Mundo Emerso (Le guerre del Mondo Emerso), lançada recentemente no Brasil pela Rocco, uma nova abordagem que utiliza uma protagonista do segmento anti-herói, uma jovem ladra de uma Guilda que apoiou o Tirano da primeira Trilogia, enquanto Nihal e Senar. A aventura ganha mais ação e mistério em relação à primeira trilogia e a testa por que a italiana é a mais popular e bem-sucedida autora de livros de fantasia de seu país. Em A Seita dos Assassinos, se passaram  quarenta anos da batalha que derrubou o Tirano, e o cenário se passa na Terra do Sol, governada por Dohor, um dos Cavaleiros do Dragão que lutou nesse conflito, que lentamente está expandindo sua influencia para as demais terras e subjugando-as. É neste momento que somos apresentado a Dubhe, garota que se tornará uma das melhores assassinas de todas as terras, que vivia numa pequena aldeia da Terra do Sol. Vivendo feliz com a família e os amigos, tudo muda quando tinha oito anos após uma desavença ela mata um de seus colegas de brincadeiras. A assembléia da aldeia condena a criança ao exílio na floresta. Após longos dias de caminhada, é encontrada por um ex-membro do famigerado culto A Guilda, dedicado ao Tirano-deus Áster. Assim a jovem aprenderá o trabalho do assassino, porém ela jurou nunca mais privar um ser humano da vida depois do acidente que a tornou órfã e sem pátria.

Agora com 17 anos mora em Makrat, onde se dedica ao trabalho de ladra. De um momento para o outro, ela passa a ser o centro das atenções na Guilda, e tenta a todo custo descobrir o porquê do interesse que desperta. Algo que levará a uma descoberta que acarretará a um terrível acontecimento. Em meio a sua investigação encontrará aliados nos lugares mais inesperados, mas, quando faz uma descoberta surpreendente, ela terá que decidir se sua vida vale tanto quanto o futuro do Mundo Emerso. A autora escreve, como já analisamos, uma narrativa com sensibilidade, com carência no lado descritivo, principalmente na construção das cenas, bem estereotipadas, mas que se supera pela profundidade psicológica, como a dor de matar um colega, o afastamento forçado dos pais, o sentimento de culpa que lhe acompanha, a solidão, a aflição, a angustia, a busca de identidade num mundo em mudança, entre outras matizes que fazem desta nova série, melhor que a anterior. Como no release da editora diz, o leitor vai ser, mais uma vez, levado para uma terra distante, onde elfos, gnomos, dragões, ninfas e outros seres imaginários convivem, nem sempre em harmonia. Este primeiro volume de Guerras do Mundo Emerso confirma tudo que se esperava da autora, após o sucesso da sua primeira trilogia, Crônicas do Mundo Emerso.

Livro 02 – As Duas Guerreiras

duasguer

Continuando a saga a la Tolkien, As Guerras do Mundo Emerso, a italiana Licia Troisi nos presenteia com o segundo episódio da série, As Duas Guerreiras, que traz de volta um dos principais personagens da primeira trilogia, Crônicas do Mundo Emerso, o mago Senar. 

O Mundo Emerso agora está sob o jugo de Dohor, mas os riscos de algo pior do que o esperado, a sombra do Tirano paira, tecendo na escuridão seu retorno. A história ainda gira em torno de Dubhe, que foge da seita com o jovem mago, Lonerin e seguem para além dos limites do Saar, para as Terras Desconhecidas, onde Senar e Nihal foram morar. A garota é forçada a lidar com uma maldição que lentamente suga cada lampejo de sua humanidade e o único que pode salvá-la é Senar, o mais poderoso dos magos, companheiro de Nihal. Na jornada difícil, cheia de perigos, os dois companheiros irão experimentar sentimentos inesperados e lidarão com revelações sobre o passado de cada um. Enquanto isso, Rekla, Guardiã dos Venenos da Guilda de Assassinos, aquela que imprimiu a Dubhe o selo da maldição, está na trilha dos fugitivos, ávida por vingar-se da vergonha daquela fuga. Enviada por Yeshol, sacerdote da Guilda, descobrirá que está em um terreno perigoso, onde a magia não funciona da maneira que eles conhecem. Ao mesmo tempo que Dubhe e Lonerin fogem, o gnomo Ido, supremo general das forças das Terras libertas, procura o filho de Nihal e Senar, Tarik, que após uma briga com o pai, seguiu das Terras Desconhecidas para o Mundo Emerso, onde é motivo para o retorno do Tirano à vida. 

Uma leitura agradável, mas o resultado não é igual ao primeiro volume, A Seita dos Assassinos (leia a resenha do livro aqui), provavelmente devido ao fato de que o romance está no meio, de forma que não temos um recomeço ou um fim legitimo. Troisi, diferentemente não aborda muito a profundidade psicológica de cada um dos personagens, se centrando mais na ação das cenas. Ou seja, arranhou seu verdadeiro potencial, podemos destacar o personagem de Rekla, o caráter mais surpreendente, uma mulher impiedosa e impulsionada por uma fé inabalável, se desenvolve ao longo da história, podendo até a eclipsar os demais personagens. Yeshol é fraco, a seita não é abordada como no primeiro volume, o ritmo da história está mais rápida, algo que Troisi nos já habituou, mas falta algo. É como a narrativa quisesse dar ênfase no passado, dando espaços para novos antagonistas, privando Senar do que já foi e esboçando-o em Lonerin. Apesar desse revés da escritora, As Duas Guerreiras é uma história com um estilo bem definido, consolidado, ágil, mas com esse pequeno porém: deixar para o último volume, Um Novo Reino, o clímax da trilogia.

Livro 03 – Um Novo Reino

um-novo-reino.DE LICIA TROISI, GEEKjpg

O fim da guerra do Mundo Emerso está muito próximo. E alianças inesperadas podem fazer toda a diferença. Dubhe e Lonerin tiveram sucesso na busca pelo mago Senar, mas, de volta das Terras Desconhecidas, os jovens são novamente enviados em perigosas missões. Em Um novo reino, terceiro volume da série As guerras do Mundo Emerso, Licia Troisi separa seus heróis em missões distintas. Dubhe e Lonerin partem em caminhos diferentes em novas aventuras em busca de uma solução para o fim do conflito. Agora, Dubhe tem como aliada Theana, uma jovem maga que estudou com Lonerin. As duas partem rumo ao palácio real na Terra do Sol para matar o cruel Dohor, o ditador responsável pelo selo de Dubhe e que juntou forças com a Guilda dos Assassinos. Porém, a viagem não é fácil e logo as jovens são capturadas pelas tropas do perverso rei. O destino as leva até Learco, jovem príncipe, filho do ditador, que consente que as duas o acompanhem até a corte como escravas. No caminho para Makrat, capital do império, Dubhe e Learco se tornam próximos demais e um amor proibido começa a surgir, colocando em risco toda a missão das jovens. Enquanto isso, Lonerin parte ao lado de Senar em busca do antigo amuleto de Nihal. O artefato é a última chance dos rebeldes impedirem o renascimento de Áster, o Tirano. Nesse ínterim, o gnomo Ido toma para si a tarefa de proteger San, neto de Nihal e Senar, o menino que Yeshol e Dohor buscam para usar como receptáculo da alma de Áster. Simultaneamente, o Conselho dos Territórios Livres se reúne e decide lançar um decisivo ataque contra a Guilda e o exército de Dohor. E Dubhe vai ser forçada a escolher entre seu novo amor e o futuro de todo o Mundo Emerso. Três missões que se cruzam e determinam o destino do Mundo Emerso. Revelações inesperadas, alianças surpreendentes e muita aventura dão o ritmo a Um novo reino.

Um Novo Reino foi um livro bem razoável que teve seus momentos de tensão. As descrições estavam ótimas, o Mundo Emerso estava ótimo, e pela primeira vez na trilogia tivemos um olhar no Mundo Submerso (isso mesmo, debaixo do mar. Atlântida feelings my man).

%d blogueiros gostam disto: