Arquivo para a Tag ‘livros

Descrição de um psicopata!!!   Leave a comment

crazy-para-brasil

“Dujas, mantendo os braços abertos e ainda recitando aquelas frases de efeito, buscou com uma das mãos uma faca que estava guardada na cintura, em suas costas. Uma arma que até então ninguém sabia que ele carregava consigo. Ele apanhou a lâmina lentamente, quase em câmera lenta, enquanto falava, deliciando-se com o momento:

_ Certo dia, domei os demônios que haviam dentro de mim. Neles coloquei uma rédea e um cabresto e cavalguei montado em uma nuvem amarga feita de bílis. A cada um deles eu dei um nome. Á minha ambição chamei ‘Valdívio’!

_ Á minha amargura chamei ‘Hokuokekai’.

_ Ao lobo que há dentro de mim chamei de ‘Uchoa’. E à minha decadência chamei de ‘Ojibe’!

_ Seu sangue em meus dedos encerra sua história e passa a fazer parte da minha.

_ Eu matei meu pai. Eu matei minha mãe. Tudo isso foi antes do fim do mundo. Eu senti as unhas de minha mãe arrancando a pele de meu rosto… Eu abri os círculos do inferno e os trouxe para perto de nós! Você não pode me deter, ninguém mais pode.

_ Ao meu poder, o poder sobre a vida e a morte, eu dei o nome de ‘Uzi’. Ninguém nunca me levou a sério, mas agora ninguém mais dará risada.”

 Apocalipse Zumbi – Os primeiros anos (Alexandre Callari)

 (Essa foi uma das mais perfeitas descrições de um assassino psicopata que já li… Fiquem a vontade para darem seus pitacos).

Vozes!   Leave a comment

loucura

“Vozes! Por todos os lados, elas ecoam! Ecoam e formam uma sinfonia abstrata, um tornado saído de dentro da latrina, uma equação indecifrável que hipnotiza e captura. Fora do tom, em soberbo desafino, cruzando umas com as outras, desafiando as leis da matéria, levando a sonoridade para uma direção jamais imaginada, elas ecoam. E, em seu eco, trazem consigo tormentos, numa colagem de dor e solidão. São ladrões que assaltam a mente, substituindo o que se tinha como certo por um novo hangar de ideias e sensações.”

 Apocalipse Zumbi – Os Primeiros Anos (Alexandre Callari)

 (Eu fico impressionado como alguns escritores conseguem descrever sentimentos em palavras, até o ponto em que, nós leitores conseguimos senti-las ao ler, e nesse trecho, Alexandre foi especialmente feliz ao descrever a loucura que o personagem estava passando).

Casa comigo?   Leave a comment

1296323086457_f

“_ A verdade é que eu era uma perfeita idiota. Você foi a única coisa boa que veio disso tudo. Você e agora ele! e passou a mão sobre a barriga. José, comovido com a cena, sorriu e falou de forma espontânea, sem pensar no que estava dizendo:
_ Casa comigo?
Maria de um pula.
_ O quê?
Assustando-se com sua própria espontaneidade, ele gaguejou e tentou se corrigir:
_ Quer dizer. Nossa, desculpe, eu não queria… Putz, Maria, não sei o que me deu, eu…
_ Sim!
_Nós não precisamos, quer dizer, eu sou um… Você disse o quê?
_Sim, eu disse sim!
Pela primeira vez em anos, ela chorou de alegria, e os beijos apaixonados expressaram todo o resto que ficou sem ser dito.”

Apocalipse Zumbi – Os primeiros anos (Alexandre Callari)

 

Teríamos nós, seres humanos, que fazer planos o tempo todo?   1 comment

sera_tempo

“Teríamos nós, seres humanos, que fazer planos o tempo todo, preparamos para o amanhã, viver sobre a égide de linhas perfeitamente traçadas, com limites bem definidos? Ou seria a suprema empresa conseguir justamente viver na corda bamba, sem pensar em um equilíbrio maio que não aquele que se obtém dia após dia, um momento por vez?”

 Apocalipse Zumbi – Os Primeiros Anos (Alexandre Callari)

 (Eis uma grande pergunta e se alguém souber a resposta, por favor me diga tá bom?)

Apocalipse Zumbi – Os Primeiros Anos (Alexandre Callari)   Leave a comment

APOCALIPSE ZUMBI
Sinopse: O caos reina no mundo. A civilização entrou em colapso. As comunicações, a energia elétrica e a vida em sociedade, como a conhecemos, praticamente se extinguiram. Nem toda nossa tecnologia foi capaz de nos proteger e evitar que dois terços da humanidade morressem. Os poucos que sobreviveram estão exaustos e tentam reunir o que ainda resta das suas forças e recursos para se manterem vivos. E, para piorar, eles não estão a sós. Dia e noite, são perseguidos pelos contaminados – sempre à espreita com seus olhos vermelhos, pele pálida, dentes podres e uma terrível sede de sangue e de carne humana. Nesse cenário de terror e desesperança, Manes luta desesperadamente para manter sua comunidade unida. Ela subsiste em uma construção cercada por paredes de concreto chamada Quartel. Porém, quando alguns de seus membros estão em apuros do lado de fora, sendo cruelmente caçados pelos contaminados, Manes parte para resgatá-los. A sua ausência e a chegada do enigmático Dujas abalam severamente o tênue equilíbrio interno do Quartel, colocando em risco a vida de todos. O perigo e o medo tomarão conta deste, que é um dos poucos redutos em que homens e mulheres vivem em “segurança”. Cheio de intrigas, mistério e horror, Apocalipse Zumbi é uma aventura de ficção eletrizante, com muitos elementos de realidade que mexerão com a mente e o coração dos leitores. Alexandre Callari oferece nesta obra o melhor do gênero zumbis e, ao mesmo tempo, cria um mundo à parte, que conta com suas próprias regras e lógica. Bem-vindo ao universo de Apocalipse Zumbi!

****************************************************************

Sensacional! Essa é a palavra para o livro “Apocalipse Zumbi – Os primeiros Anos” de Alexandre Callari. A primeira grande obra literária sobre o universo do apocalipse nas mãos de nossos bons e velhos zumbis. Confesso que comprei o livro e o deixei um pouco de “stand-by” na minha estante, pois achei que era mais uma das obras modinhas da série “The Walking Dead”. Até que dei a ele uma chance e quebrei a cara legal.
Como o próprio nome já diz o livro narra a história de um colapso que ocorre no mundo, onde, de uma hora para outra e sem nenhuma explicação (Pelo menos até agora), mais da metade da população mundial cai morta e da metade que sobrou, a maior parte se torna zumbis, pessoas semi-humanas, com uma raiva incontrolada que vivem para atacar e se alimentar da carne dos que sobreviveram, que lutam da forma que podem para sobreviver e ainda mais para não se tornarem novos zumbis.
Nesse contexto um grupo de sobreviventes, liderados por Manes toma controle de um quartel abandonado e criam ali uma comunidade de mais ou menos 400 pessoas que passam a lidar juntos com esse novo mundo apocalíptico tentando sobreviver como podem. Até que uma missão de resgate dá errada e um visitante nada “bonzinho” quase põe tudo o que a comunidade conquistou no ralo do banheiro.

(2)

Não vou aqui contar detalhes da história e sim tentar escrever porque que essa obra é muito boa, e diferenciada das outras que já li do mesmo gênero.
Primeiramente Alexandre foi muito feliz em detalhar não só o perigo e a luta contra os monstros (Que já estamos carecas de ler e assistir), mas também (ou principalmente) a luta que os sobreviventes travam em lidar e viver em um mundo pós-apocalíptico… É perfeita a maneira como ele descreve o que cada pessoa passou para conseguir sobreviver, os traumas e as sequelas que em cada uma delas ficou, e como esses todos esses traumas trancados em um mesmo lugar pode se tornar uma verdadeira bomba relógio.
Outro item fantástico é como Alexandre não cria um único personagem principal, ele cria alguns personagens que se destacam e que têm cada um a sua relevância e importância na história. Ele separa alguns capítulos especiais para cada um deles e, sem os começa com a vida deles antes do holocausto, com suas vidas cotidianas, e em como tudo isso impacta na forma como eles lidam com o fim do mundo. É demais, pois a gente acaba conhecendo e entendo cada um deles, como cada um age, pensa e vive.
Claro que no livro não poderia deixar de ter dramas, tristezas e alegrias causados por relacionamentos, e o escritor foi mais uma vez muito feliz nessa parte, pois ele relata os relacionamentos se formando, sejam eles de amor ou de amizade de uma maneira magistral, onde nós leitores acabamos vibrando em cada beijo que ocorre, pedido de casamento (A parte que José pede a mão de Maria em casamento é muito show!!!). Durante a leitura nós acompanhamos as amizades se formando, os elos entre as pessoas e como elas, antes fechadas pelo trauma que vivem, começam a abrir o coração uma para as outras e se fortalecendo com isso.

(9) ARTE LOW

Enfim, o livro não é apenas mais um livro sobre zumbis que gostam de comer carne humana, o livro é uma obra prima que descreve a capacidade que nós humanos temos de, após um evento que quase acaba com a humanidade, nos reagrupar, nos adequar e sobreviver da melhor maneira que conseguimos. Enfrentando não só os monstros que estão soltos pelas cidades, mas também lutamos contra outras pessoas desumanas e cruéis e, principalmente, contra os próprios demônios e medos que cada um tem dentro de si.
Vocês perceberam que eu gostei muito do livro e já vou começar a ler o segundo volume. Não sei como a história se desenrolará nos próximos, mas estou muito curioso.
Recomendo o livro para os que gostam do gênero zumbi e também para os que não curtem muito, tenho certeza que vão adorar também.
Detalhe: Junto com o livro vem um CD com a trilha sonora o que é bem legal para entra no clima da história.
Abraços e beijos, Berma! 😉

Instrumentos Mortais – Cidade das Almas Perdidas (Cassandra Clare)   Leave a comment

INSTRUMENTOS MORTAIS - VOL 05 CIDADE DAS ALMAS PERDIDAS

Sinopse: Quando Jace e Clary voltam a se encontrar, Clary fica horrorizada ao descobrir que a magia de Lilith, um demônio muito poderoso, ligou Jace ao perverso Sebastian, transformando o Caçador de Sombras em um servo do mal. A Clave decide destruir Sebastian, mas não há nenhuma maneira de mata-lo sem destruir Jace. Clary e seus amigos, no entanto, irão tentar mesmo assim. Ela está disposta a fazer qualquer coisa para salvar o namorado, mas ainda pode confiar nele? Ou ele está realmente perdido?
Resenha (contém spoilers): A história continua sendo narrada em terceira pessoa, mostrando a visão principalmente de Simon, tanto que a história começa com Simon em enfrentando a reação da mãe ao saber e ver que ele agora é um vampiro.
O Demônio Mario Lilith ligou Jace a Sebastian, deixado-o sob o controle do vilão, assim Jace passa a ser procurado e depois perseguido pelos caçadores das sombras, com exceção de Clary e seus amigos que não irão desistir de tentar salvar a vida dele.
Assim eles partem na tentativa de destruir Sebastian, que possui o plano de criar novos caçadores das sombras, mas ligados com sangue demoníaco ao invés de sangue de anjos.
Nesse livro continuo com a minha opinião que essa trilogia é melhor que a primeira. A escritora consegue dar uma virada na história onde Clary, agora uma caçadora bem mais experiente terá que liderar e ir atrás de seu amado Jace, que por sua vez está sob o controle de Sebastian a serviço do mal.
Para isso ela terá que contar com a ajuda de outros personagens, principalmente de Simon, Isabelle, Maia, Alec, Magnus e sua mãe, que vão fazer de tudo, ir até contra os demais caçadores, para encontrar uma forma de livrar Jace do poder de Sebastian sem que ele seja morto.
Este livro expõe de forma muito melhor os conflitos, anseios, defeitos e poderes dos demais personagens, enriquecendo muito o enredo e a trilogia, o que nos faz entrar na vida de cada um deles e se emocionar com cada uma das vitórias e derrotas que vão acontecendo.
Realmente um ótimo livro com um final muito emocionante na qual é impossível não vibrar com a luta final.
Teremos o desfecho dessa segunda trilogia no livro Cidade do Fogo Celestial, que será o último livro da série e está previsto para ser lançado no ano de 2014 nos Estados Unidos, porém sem previsão de lançamento no Brasil (Odeio quando acontece isso!!! Rsrsrs).
Abraços e beijos, Berma! 😉

Instrumentos Mortais – Cidade dos Anjos Caídos (Cassandra Clare)   Leave a comment

INSTRUMENTOS MORTAIS - VOL 04 CIDADE DOS ANJOS CAÍDOS

Sinopse: Os últimos meses não foram fáceis para Clary. Demônios, um ex-caçador de sombras com jeito de supervilão — detalhe: seu pai —, um triângulo amoroso com o melhor amigo (a quem pode inadvertidamente ter ajudado a transformar em vampiro) e um conflito entre dimensões. Mas agora a guerra chegou ao fim, e ela voltou a Nova York para aperfeiçoar seus poderes e assistir ao casamento da mãe.
O melhor: finalmente pode chamar Jace de seu. Sem fantasmas ou dúvidas. O paraíso? Nem tanto. Apesar do sangue Nephilim que corre em suas veias as coisas não estão assim tão angelicais. Alguém está matando Caçadores de Sombras, e a tensão entre os habitantes do Submundo atinge níveis alarmantes. Uma segunda guerra parece cada vez mais provável.
E Clary não pode contar com Simon. Sua habilidade vampiresca singular — conseguir andar sob o sol — faz com que seja o aliado perfeito para os dois lados; e ele vai precisar se decidir logo… O Submundo não é conhecido pela paciência.
Mas o que preocupa Clary, na verdade, é que Jace resolve se afastar sem maiores explicações. O que a faz mergulhar num mistério cuja solução pode se revelar seu maior pesadelo: ela mesma provocar a terrível cadeia de eventos capaz de lhe roubar tudo que ama. Inclusive Jace.
Entrevistas com a Escritora (contém spoilers): O quarto livro acompanhará igualmente as histórias de Clary Morgenstern, Jace Wayland e Simon Lewis, apesar dos rumores de que o romance só apresentará Simon como o personagem principal. Quando perguntaram sobre a mudança do ponto de vista desse novo romance, Clare respondeu: “Simon sempre foi um dos meus personagens favoritos e eu estou animada para ter a chance de contar a sua história enquanto revisito alguns dos outros personagens que eu amo de Os Instrumentos Mortais. O entusiasmo para contar a história de Simon de que tenho recebido da equipe McElderry Books e Simon & Schuster tem sido grande e eu estou animada para trabalhar com eles a fim de trazer um quarto livro da série.”
Inicialmente a série iria terminar no livro anterior, no entanto Cassandra Clare, que tinha a vontade de falar mais sobre Simon explica: “Eu inicialmente previ Cidade dos Anjos Caídos como um fim para a história iniciada em Cidade dos Ossos, mas logo percebi que, de fato, onde minha caneta foi me levando era em uma nova trilogia, uma ainda mais épica, escura e apaixonante do que a primeira. Nos três primeiros livros de Os Instrumentos Mortais, o destino dos Caçadores de Sombras estava pendurado na balança… agora é o destino do mundo. Eu mal posso esperar para compartilhar esta viagem com os meus leitores com personagens familiares mais aprofundadas, enfrentando novas relações nunca antes introduzidas e testadas.”
Enquanto Cidade dos Anjos Caídos foi originalmente destinado a se concentrar mais em Simon, Clare logo mudou de ideia: “Eu me sentei para escrever Cidade dos Anjos Caídos e percebi que era uma história muito maior do que eu pensava. O foco mudou para Simon, mas para também o resto dos personagens. Magnus e Alec, que originalmente não estavam escalados para estarem com frequência no livro, agora têm um papel importante a desempenhar. Clary e Jace também têm um papel central a desempenhar. Essa coisa sobre Simon deixar a cidade? Não acontecerá. A ação principal ocorre em Nova York. Embora eu tenha tentado preservar um enredo forte para Simon, no qual ele é mais do que um complemento para o drama ao redor de Jace e Clary, agora seria muito enganador se referir como um ‘livro de Simon’ ou indicar que se trate principalmente sobre ele. Não é.”
Clare descreve este livro dizendo: “Cidade dos Anjos Caídos tem lugar após os acontecimentos de Cidade de Vidro. O livro divide seu foco entre Jace e Clary e o melhor amigo de Clary, Simon, e como ele se ajusta à vida como um vampiro, mas é ainda uma história conjunta e todos os personagens da série Os Instrumentos Mortais aparecem nele: Isabelle, Alec, Magnus, Luke, Jocelyn, Maia e muito mais. Em Cidade dos Anjos Caídos, alguém está matando os Caçadores de Sombras que costumavam participar do Ciclo de Valentim e deixando seus corpos ao redor de Nova York, em uma forma destinada a provocar a hostilidade entre Caçadores de Sombras e integrantes do Submundo. Uma mortífera guerra entre vampiros está rasgando a comunidade dos integrantes do Submundo à parte, e somente Simon – o Diurno que todos querem ao seu lado – pode decidir o resultado, mas o problema é que ele não quer ter nada a ver com a política dos integrantes do Submundo. Enquanto isso, Jace e Clary investigam um mistério que pode trazer consequências pessoais para eles – consequências as quais podem fortalecer seu relacionamento, ou deixá-los separados para sempre. Amor, sangue, traição e vingança: os riscos são maiores do que nunca em Cidade dos Anjos Caídos.” (Fonte: Wikipédia)
Resenha (contém spoilers): A história é narrada inteiramente em terceira pessoa, no qual há um narrador onisciente que sabe todos os pensamentos dos personagens. A narração está sob o ponto de vista de vários personagens, principalmente Simon, devido ao fato de Cassandra ter mudado o foco principal da narração da protagonista Clary para o vampiro, mas também há partes narradas por outros personagens, como Clary, Jace, Isabelle, Alec, Magnus, Maia e Luke.
Clare agora já pode viver seu amor com Jace, que não é seu irmão de verdade, Valentim está morto e seu exército confinado nos confins do inferno, a mãe de Clary irá se casar com Luke, assim a paz poderá voltar a reinar no mundo. Correto? Não!!! De-repente os caçadores das sombras começam a ser assassinados de forma misteriosa e ninguém sabe exatamente o que está ocorrendo.
Jace começa a ter pesadelos em que se vê assassinando Clare, o que o deixa muito nervoso e com medo, fazendo com que eles se afastem cada vez mais.
No mesmo instante, surge na história mais uma personagem muito interessante, Camille Belcourt, uma poderosa vampira milenar que aparece para reaver a liderança do seu clã, e para isso, precisará da ajuda do mais poderoso vampiro, Simon.
No meio de todo esse roteiro, Clary e sua turma partem para mais uma aventura para tentar desvendar que está por trás desta rede de assassinatos e qual o objetivo desse assassino.
Como a própria escritora nos falou este livro é uma espécie de recomeço da série, onde um novo vilão será apresentado e uma nova rede de acontecimentos será iniciada, assim ele possui aquela parte meio maçante que todo livro inicial possui, com muitas explicações e diálogos políticos.
O ponto mais interessante é que a visão aqui passa a ser mais de Simon, que para mim é o personagem mais completo e interessante de toda a série. O fato de ser um vampiro com poder de ficar exposto ao Sol, mais a parte humana dele que ele não deixa ir embora, o conflito que ele sofre por ter que ficar distante da família, e um novo amor que irá surgir na vida dele que é a Isabelle, irmão de Jace e também uma caçadora das sombras, que para mim é a segunda personagem mais marcante de Clare.
Enfim, é o primeiro livros, de uma nova trilogia com os personagens de instrumentos Mortais, que, aliás, achei essa segunda trilogia muito melhor que a primeira (Na qual já gostei também), principalmente por causa da história de Simon e Isabelle e também porque gostei muito mais deste novo vilão, muito mais cruel, frio e calculista.
Podem ler que vão adorar.
Abraços e boa leitura.
%d blogueiros gostam disto: