Arquivo para a Tag ‘Dan Brown

Inferno – Dan Brown   Leave a comment

Olá Galera do Livros com Pipoca!!!

Hoje a resenha é muito especial, pois será de um livro que eu realmente amei ler!!! INFERNO, do nosso conhecido autor Dan Brown, que foi publicado pela nossa querida EDITORA ARQUEIRO.

INFERNO

Sinopse: Neste fascinante thriller, Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em “O Código Da Vinci”, “Anjos e Demônios” e “O Símbolo Perdido” e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento. No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado numa das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, ele luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o leva para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo poema de Dante, e mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.
Resenha: Bom pessoal, depois de ter lido alguns dos livros famosos de Dan Brown posso afirmar que Inferno é um livro excepcional, mas, ao meu ver ainda fica atrás de “Anjos e Demônios” e “O Código da Vinci”, apesar de isso ser questão de gosto, isso ´s somente uma ordem dos meus tops!!! (rsrsrs).
Nessa nova trama, da mesma forma que ocorreu em “Símbolo Perdido”, o escritor inicia a aventura de forma um pouco diferente, como se acordássemos já no meio da confusão, nos colocando ao lado do protagonista Robert Langdon em uma situação onde ele está em um hospital e não se lembra dos seus últimos três dias, e já precisa correr para salvar sua pele, pois uma assassina já está em seu encalço.

Capturar

Assim se inicia a jornada de Langdon, que com a ajuda de Sienna Brooks (A médica que o ajuda a escapar do hospital) precisa entender o porquê que está sendo caçado e por quem está sendo caçado, para assim descobrir o que realmente está ocorrendo e se ele é realmente culpado de alguma coisa.
A história se passa na Itália, com alguns trechos em outros lugares, com o plano de fundo a questão da manipulação genética e do problema da superpopulação da terra que vem crescendo a cada ano. É muito interessante ver essa questão da manipulação genética como uma arma, pois é esse o grande medo atual da humanidade.
Inferno utiliza a obra “Divina Comédia” do artista Dante Alighieri e seus desdobramentos, que, segundo especialistas, retrata a ideia que a pessoa que comete pecados deve sofrer para se chegar ao Paraíso, e é focando exatamente nessa ideia que Langdon tentará decifrar os mistérios que o cercam desde que acordou com amnésia.

inferno_mapa_botticelli

O livro possui um ótimo enredo, com um suspense digno de Brown e com ótimas reviravoltas durante a trama, onde o autor nos conduz pelas ruas da itália e de outros lugares do mundo, acompanhados de personagens muito intrigantes, sociedades secretas e mistérios empolgantes.
O ponto negativo do livro (Que para mim não e influenciante) é o excesso de descrição das obras e lugares que o escritor inseriu no livro, em certas horas o livro parece até um documento de atração turística, o que torna a narrativa mais maçante do que os livros anteriores.
Finalizando, é um ótimo livro para os fãs de Dan Brown e para quem gosta de livros de suspense com mistérios a serem desvendados. Super recomendo pois vale a pena ler.
Abraços e beijos, Berma! 😉

O Símbolo Perdido – Dan Brown   Leave a comment

Olá Galera do Livros com Pipoca!!!

Hoje teremos mais um resenha do nosso querido autor Dan Brown. Agora será a vez do livro “SÍMBOLO PERDIDO“, que foi publicado pela EDITORA ARQUEIRO.

O SIMBOLO PERDIDO

Sinopse:  Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas. Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon – eminente maçom e filantropo – a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. Mal’akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo. Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian. Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está. Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos.
Resenha: Vou começar a resenha enfatizando que sou fã do Dan Brown, mas o “Símbolo Perdido”, ao meu ver, ficou bem aquém dos outros dois livros que já li, “Anjos e Demônios” e “O Código da Vinci”. Depois de dois grandes sucessos onde um deles só perdeu em número de vendas para o nosso querido Harry Potter, Dan Brown volta a cena em o “Símbolo Perdido”, só que dessa vez com alguns detalhes diferentes dos anteriores.
A diferença mais interessante é que nos outros dois (Anjos e Demônios e O Código Davinci) o vilão faz parte do suspense do livro, onde o mesmo é revelado somente no final no final. Já em o Símbolo Perdido o vilão se torna um dos principais personagens, pois o mesmo é revelado logo no início do livro, e no seu decorrer Dan vai descrevendo a sua personalidade e a sua história, o que nos leva a entender melhor as suas escolhas.
Outra diferença interessante é que agora a trama se passa em território americano e o suspense é muito mais corrido, com menos tempo para as soluções dos enigmas, o que põe o nosso querido herói à prova quase que o tempo todo da leitura.
Com um o ritmo bem mais ágil , Dan Brown envolve o leitor com seus famosos enigmas tendo como plano de fundo da história a maçonaria – seus rituais, tradições e grande influência na fundação dos Estados Unidos.
Outro ponto importante é  a inclusão das pesquisas de um dos ramos mais recentes da ciência, a noética (apresentadas, na trama, pela irmã de Peter, Catherine Solomon), que estuda o poder da mente humana e sua possível influência no mundo material. Não sei se o que é apresentado no livro é verdadeiro, mas são informações que certamente deixam o leitor bem curioso sobre o assunto.
A história coloca o nosso querido simbologista Robert Langdon respondendo a um chamado de um velho amigo, Peter Solomon, que é na verdade um membro da importante da maçonaria. O chamado é para dar uma palestra no Capitólio dos EUA, em Washington. Só que, assim que Langdon chega para a palestra, percebe que o convite era na verdade uma mentira e que seu amigo corre grande perigo de vida. E é assim que Robert, junto com a Catherine Solomon, a irmã de Peter, acaba envolvido em uma corrida contra o tempo para decifrar vários enigmas, salvar a pele do seu amigo e encontrar um tesouro que está escondido há muito tempo dentro da maçonaria e que é capaz de oferecer poderes sobre-humanos para quem colocar as mãos nele.

Capturar

Na minha opinião, enquanto livro de aventura é sim uma ótima leitura, mas faltou um pouco de emoção… Não consegui sentir nele aquela sensação de fazer parte da história e se envolver com os personagens, o que acontece sempre que leio bons livros… Sendo que em alguns momentos a leitura ficou meio que óbvia para mim.
Mas, para quem é fã de um romance repleto de suspense e aventura, como os apaixonados por Dan Brown, realmente é uma leitura obrigatória e um título que deve fazer parte da sua estante!!!
Abraços e beijos, Berma! 😉
%d blogueiros gostam disto: