Arquivo da categoria ‘O Código Da Vinci

O Código Da Vinci – Dan Brown   2 comments

200px-DaVinciCode
Sinopse:Um assassinato dentro do Museu do Louvre, em Paris, traz à tona uma sinistra conspiração para revelar um segredo que foi protegido por uma sociedade secreta desde os tempos de Jesus Cristo. A vítima é o respeitado curador do museu, Jacques Saunière, um dos líderes dessa antiga fraternidade, o Priorado de Sião, que já teve membros como Leonardo Da Vinci. Momentos antes de morrer, Saunière consegue deixar uma mensagem cifrada na cena do crime em que apenas sua neta, Sophie Neveu, e Robert Langdon poderia desvendar. Os dois transformam-se em suspeitos e em detetives enquanto percorrem as ruas de Paris e Londres tentando decifrar um intricado quebra-cabeças que pode lhes revelar um segredo milenar que envolve a Igreja Católica. 

O livro faz jus a toda a fama que tem. Não é a toa que esse é um dos livros mais vendidos no mundo.

Robert Langdon, o detetive principal das histórias de Dan Brown vem com tudo nesse romance policial.
Um conceituado professor de Simbologia em Harvard , Robert agora está em Paris.
Ele recebera a ligação do curandeiro do museu do Louvre em que o homem gostaria de se encontrar com Robert para discutirem simbologia.
Nada fora do comum, afinal, nas histórias de Dan Brown é comum que pessoas do mais alto grau e de organizações secretas, que geralmente não se encontram com ninguém, resolvam ligar para Robert para marcar um cafezinho.
Mas o curandeiro não aparece, e Langdon recebe uma ligação da polícia de Paris. Não o convidando para um chá, mas sim para informar que Jacques Saunière, o curandeiro, fora encontrado morto. Eu não me lembro exatamente se fora uma ligação mesmo que ele recebeu, ou um fax com uma foto de Saunière morto.
Enfim, Robert imediatamente vai até o Museu, onde ele descobre o motivo da polícia tê-lo chamado ali: Antes de morrer, Jacques escrevera uma sequência de números a seu lado, uma frase aparentemente sem sentido, e abaixo:
P. S.: Encontre Robert Langdon
 
A frase faz a polícia acreditar que fora Robert o assassino de Jacques. Mas, eles estavam enganados.
Como em todos os livros que já li do Dan Brown, Robert conta com a ajuda de uma bela mulher, Sophie Neveu, que é neta de Jacques e criptóloga.
Os dois juntos tornam-se os suspeitos principais do crime, e, enquanto estão fugindo da polícia, eles deverão desvendar o código imposto por Jacques.
Cada pista que descobrem, os leva para outro lugar.
Em alguns momentos do livro, senti uma certa apreensão, pois os dois pareciam encurralados, mas Dan Brown conseguia sempre achar uma saída, com uma boa dose de criatividade.
A leitura flui bem. Esse é um daqueles livros que você pega pensando “Vou ler apenas mais uma página”. E quando menos percebe, já leu metade do livro.
O único ponto negativo que encontrei no livro, é que ocorre tanta coisa que mal dá para perceber que tudo acontece em apenas uma noite.
Acho o tempo surreal demais para todos os acontecimentos.
%d blogueiros gostam disto: