Arquivo da categoria ‘O Caçador de Pipas

Ele sempre consegue escapar.   Leave a comment

passado

O Caçador de Pipas

Khaled Hosseini

“Foi há muito tempo, mas descobri que não é verdade o que dizem a respeito do passado, essa história de que podemos enterrá-lo. Porque, de um jeito ou de outro, ele sempre consegue escapar.”

Publicado 29/01/2014 por Berma em Citações, Minha estante, O Caçador de Pipas

Etiquetado com

Esperando que o nascer do sol…   Leave a comment

IMG_0385-300x224
“Quando fiquei mais velho, li nos meus livros de poesia que a yelda era a noite sem estrelas em que aqueles que sofrem por amor permanecem acordados, suportando a escuridão interminável e esperando que o nascer do sol traga a pessoa amada.”
O Caçador de Pipas (Khaled Hosseini)

Publicado 27/04/2013 por Berma em Minha estante, O Caçador de Pipas

Etiquetado com ,

O Caçador De Pipas – Khaled Hosseini   Leave a comment

O CAÇADOR DE PIPAS

Sinopse: O caçador de pipas é considerado um dos maiores sucessos da literatura mundial dos últimos tempos. Este romance conta a história da amizade de Amir e Hassan, dois meninos quase da mesma idade, que vivem vidas muito diferentes no Afeganistão da década de 1970. Amir é rico e bem-nascido, um pouco covarde, e sempre em busca da aprovação de seu próprio pai. Hassan, que não sabe ler nem escrever, é conhecido por coragem e bondade. Os dois, no entanto, são loucos por histórias antigas de grandes guerreiros, filmes de caubói americanos e pipas. E é justamente durante um campeonato de pipas, no inverno de 1975, que Hassan dá a Amir a chance de ser um grande homem, mas ele não enxerga sua redenção. Após desperdiçar a última chance, Amir vai para os Estados Unidos, fugindo da invasão soviética ao Afeganistão, mas vinte anos depois Hassan e a pipa azul o fazem voltar à sua terra natal para acertar contas com o passado.
Não tem nada mais frustrante do que entender a cultura dos outros numa bancada com quadro negro ou vendo notícias de terror das redes televisivas. Como ainda não dá para bancar viagens, o melhor recurso é procurar livros de pessoas que são da região e que realmente conhecem cada metro quadrado do que estão declarando. Faz sentindo ler um livro sobre a Itália escrita por um americano que nunca foi pra lá? Pra mim não.
Agora pegue todas as aulas de história do Oriente Médio e de Geopolítica e subtraia todos os estereótipos e o que temos? O que sabemos além da guerra? Nada ou talvez pouca coisa. Um dos lugares mais bonitos do mundo virou aos olhos estranhos um poço de poeira, explosões e extremistas. O caçador de Pipas do escritor e médico afegão,Khaled Hosseini é um bom meio de iniciar sua jornada. O livro retrata o Afeganistão da década de 70 na vida de dois meninos numa uma sociedade dividida em castas. Amir era um garoto pashtun, a classe dominante e seu único amigo (verdadeiro) era Hassan, um garoto hazara (Os hazaras dizem-se descendentes dos soldados mongóis que se estabeleceram na Ásia central – Alou Gengis Khan), a classe dominada. Amir foi criado sem mãe e a relação com seu pai era fria, apesar do grande amor que tinham entre si.
A história é contada desde a Infância do jovem Amir até a fase adulta narrando as aventuras com o amigo e os desencontros. Amir nunca foi tão valente ou tão nobre quanto Hassan, mas apesar dos ciúmes do jovem pashtun com a relação do seu pai com o Hassan, vemos momentos carinhosos e de arrependimentos. Hassan é o símbolo da lealdade fraternal, o jovem de lábio leporino nos mostra o quanto podemos esperar por gestos bons. Os conflitos que os envolvem, durante um campeonato de pipas no inverno de 197, tornam-se a redenção futura para as maldades do jovem Amir que após desperdiçar a última chance vai para os Estados Unidos, fugindo da invasão soviética ao Afeganistão.
Para aqueles que já viram ao filme (uma ótima reprodução) talvez tenham notado que o centro do problema não é amizade, este é um recurso primordial, mas a covardia. A atmosfera de redenção e de culpa é surpreendente.

Você quer gritar.   Leave a comment

0025c36ae050f8d1d939c2c0c67a88522b9ad3f8
“Você quer gritar. Gritaria, se pudesse. Mas, para gritar, é preciso respirar.”
— O Caçador de Pipas

Publicado 08/04/2013 por Berma em Minha estante, O Caçador de Pipas

Etiquetado com ,

%d blogueiros gostam disto: