Arquivo da categoria ‘Paulo Leminski

Paulo Leminski   4 comments

tumblr_mwyfngnip01rhkn49o1_250

“Não discuto com o destino, o que pintar eu assino.”

Paulo Leminski

Publicado 12/03/2015 por Berma em Escritores, Paulo Leminski, Poesias

Etiquetado com , ,

Razão de ser – Paulo Leminski   Leave a comment

poeta

Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?

Publicado 02/03/2015 por Berma em Escritores, Paulo Leminski, Poesias

Etiquetado com , ,

Vê bem onde pises!!!   Leave a comment

1450223_734413973294492_4848215536643513061_n

Publicado 26/11/2014 por Berma em Escritores, Paulo Leminski, Poesias

Etiquetado com , ,

Amar você é coisa de minutos…   Leave a comment

tumblr_le91hp6NPY1qbjjhjo1_500_large

“Amar você é coisa de minutos
A morte é menos que teu beijo
Tão bom ser teu que sou
Eu a teus pés derramado
Pouco resta do que fui
De ti depende ser bom ou ruim
Serei o que achares conveniente
Serei para ti mais que um cão
Uma sombra que te aquece
Um deus que não esquece
Um servo que não diz não
Morto teu pai serei teu irmão
Direi os versos que quiseres
Esquecerei todas as mulheres
Serei tanto e tudo e todos
Vais ter nojo de eu ser isso
E estarei a teu serviço
Enquanto durar meu corpo
Enquanto me correr nas veias
O rio vermelho que se inflama
Ao ver teu rosto feito tocha
Serei teu rei teu pão tua coisa tua rocha
Sim, eu estarei aqui”

PAULO LEMINSKI

Publicado 19/11/2014 por Berma em Escritores, Paulo Leminski, Poesias

Etiquetado com , ,

Só uma nuvem te separa das estrelas!!!!   1 comment

dia_da_poesia

Publicado 25/04/2014 por Berma em Escritores, Paulo Leminski, Poesias

Etiquetado com , ,

Dor elegante   1 comment

tumblr_lk20v0GMsa1qgsnyso1_500

Dor elegante

Um homem com uma dor
É muito mais elegante
Caminha assim de lado
Com se chegando atrasado
Chegasse mais adiante

Carrega o peso da dor
Como se portasse medalhas
Uma coroa, um milhão de dólares
Ou coisa que os valha

Ópios, édens, analgésicos
Não me toquem nesse dor
Ela é tudo o que me sobra
Sofrer vai ser a minha última obra

Paulo Leminski

Publicado 15/04/2014 por Berma em Escritores, Paulo Leminski, Poesias

Etiquetado com , ,

Arnaldo Antunes lê Paulo Leminski   Leave a comment

Adorei a poesia de Paulo Leminski na voz inconfundível de Arnaldo Antunes.

 

Publicado 01/02/2014 por Berma em Paulo Leminski, Poesias

Etiquetado com ,

%d blogueiros gostam disto: