Arquivo da categoria ‘Entrevistas

Entrevista: Evandro Teodoro, autor de Khar – O Demônio Lobo   1 comment

Olá Galera do Livros com Pipoca!!!

Como sabem já temos aqui no blog a resenha do livro Khar – O Demônio Lobo de Evandro Teodoro e publicado pela Chiado Editora, que se trata de um thriller com muito terror e suspense, que todos os que gostam desse tipo de leitura vão adorar. Assim, entramos em contato com o autor e ele nos concedeu uma entrevista muito bacana para colocarmos aqui no blog para vocês. A entrevista ficou muito legal, onde podemos ver toda a paixão do autor em escrever e também as dificuldades que os escritores hoje enfrentam para conseguirem uma chance de publicação.
Vale a pena conferir a entrevista.

01) Quando foi que descobriu a sua paixão pela escrita e quais foram as maiores dificuldades que você teve para conseguir publicar o livro?

Evandro Teodoro - Pergunta 01

Leia o resto deste post »

Papo de Escritor – Tendências do Mercado Editorial   Leave a comment

Olá Galera do Livros com Pipoca!!! 

Segue uma super entrevista muito interessante que todos os autores nacionais e nós blogueiros literários não podemos deixar de assistir!!!
Na última quinta-feira, dia 7 de maio, a turma do PAPO DE ESCRITOR recebeu a Lindsay Gois, gerente editorial do Grupo Novo Século, para falar sobre TENDÊNCIAS DO MERCADO EDITORIAL. Espera! Você não conhece o programa? O Papo é uma criação do Leonardo Barros, parceiro do blog e autor do livro Presságio – O assassinato da Freira Nua (já resenhado aqui no blog). Ele conta com a ajuda dos escritores Landulfo Almeida, autor de As Duas Faces do Destino, e Marcelo Hipólito, parceiro do blog e autor do livro O Mago de Camelot – A Saga de Merlin para Coroar um Dragão (já resenhado aqui no blog), que recebem um convidado especial a cada episódio (sempre um especialista no assunto a ser debatido).
 A Lindsay Gois foi responsável pela contratação de quase vinte títulos da Marvel, romances que serão lançados bimestralmente, até 2017. Ela deu dicas para novos escritores que desejam atrair a atenção de grandes editoras, falou sobre a importância da autopublicação para o autor brasileiro e sobre a importância da interação entre o escritor e o blogueiro literário.

Muito legal a entrevista não é mesmo? O programa “Papo de Escritor” pertence ao canal Sente e Escreva, um canal obrigatório para nós blogueiros, pois está sempre nos dando muitas informações de novidades do nosso mundo literário. Não deixem de segui-lo!!!
Abraços e beijos, Berma! 😉

Entrevista com a autora Francélia Pereira   1 comment

Olá Galera do Livros com Pipoca!!!

Hoje temos uma entrevista muito legal que a autora Francélia Pereira concedeu para o nosso blog. Francélia (Autora dos livros de sucesso “Habitantes do cosmos” e “Artemísia” (Primeiro e segundo volume da saga), e que já está trabalhando no terceiro volume que deverá sair em breve para nós leitores) conta para nós, com muito carinho e sinceridade, como foi a sua inspiração para escrever os livros, como é a sua rotina para escrever, quais os seus trabalhos para o futuro, etc. Enfim, uma daquelas entrevistas bem gostosas que faz o leitor sentir-se mais pertinho do escritor!!!

3 - 10644473_1501979053398527_1028347071853857198_n

Livros com Pipoca: De onde surgiu a inspiração para escrever a saga “Habitante do Cosmos” e, principalmente, o segundo volume “Artemísia”?
Francélia Pereira: Bem, eu sempre fui fã de ficção científica e fantasia, e isso foi me levando a buscar o “fantástico” também na realidade. Assim surgiu meu interesse por textos antigos, como as obras dos gregos, que hoje chamamos de ficção e mitologia, mas que para os autores era uma forma de retratar o mundo ao seu redor e de contar a História da humanidade. Depois de ler muito, minha mente acabou se expandindo demais, aí veio a necessidade de escrever.
A série, dentre outras coisas, pretende despertar no leitor o interesse pelo passado e, assim, mostrar o quanto esse passado tem a nos ensinar; o que justifica o seu estudo e inspira o respeito por nossos ancestrais.
O Artemísia segue essa linha da série, e nele apresento divindades criadas por várias culturas, mas destaco uma divindade nacional, Îacy. A inspiração do Artemísia foi uma discussão que tive com um amigo meu, há uns sete anos atrás, sobre machismo; e desde então tenho pesquisado sobre o assunto. O Artemísia tem como tema principal a discussão sobre os gêneros, questões que nossa sociedade utiliza pra tentar justificar a superioridade de um gênero sobre o outro, mas tento mostrar que essas questões não passam de ilusões, pois somos todos humanos e, assim, dotados das mesmas capacidades e fraquezas. No fim das contas, o livro chama a atenção do leitor para todo tipo de discriminação e o convida a pensar sobre o assunto.
9 - divulgacao face
Livros com Pipoca: Desde a concepção até a publicação, quais foram as maiores batalhas que você teve que travar para lançar os livros?
Francélia Pereira: O volume 1 foi escrito para um concurso, aqui em BH; então, enquanto esperava pelo resultado, comecei a escrever o Artemísia. A princípio eu não tinha intenção de publicá-lo, só queria mesmo compartilhar a história, então comecei a publicar os episódios em um blog, ainda não conhecia as redes de escritores e leitores. Algumas pessoas começaram a se interessar pela história, e meus amigos me incentivaram a publicar de forma independente. Nessa fase um amigo meu me indicou o site Clube de Autores, e vendi alguns volumes por lá. Logo em seguida, esse mesmo amigo me incentivou a enviar a obra para as editoras, enviei para duas e logo recebi a resposta da Editora Buriti. Com o Artemísia, o processo todo, entre escrever a obra, publicar independente e assinar o contrato com a Editora, não durou mais que três meses. É uma obra pela qual tenho muito carinho.
Logo após assinar o contrato com a editora, saiu o resultado do concurso, e o vol1 ficou liberado. Então substitui o Artemísia pelo Habitantes do Cosmos no Clube de Autores, e também o publiquei no Wattpad; e agora começa a dar bons resultados. Mês passado enviei o original para uma editora, que acredito ter o perfil da obra, mas o prazo de espera é de cinco meses, enquanto isso o livro segue disponível no widdbook e no wattpad, de forma digital, para quem se interessar a conhecer a obra; e quem quiser adquirir o livro físico basta buscar no Clube de Autores.
Uma grande dificuldade é a divulgação, pois é o processo que exige dedicação de tempo e grande investimento financeiro; como estou terminando meu curso e estou no período do estágio obrigatório, ainda disponho de tempo, mas não tenho dinheiro nenhum para investir :p . Mas a maior dificuldade é não ver seu trabalho reconhecido como um “trabalho”; principalmente pela família, pois é um problema que, acredito, a maioria dos artistas sofrem, já que na nossa sociedade só é considerado trabalho aquilo que gera renda; se você não ganha dinheiro com o que faz, as pessoas não respeitam o seu processo criativo, já que o encaram como brincadeira, hobby ou coisa pior. Para se dedicar a um trabalho que envolve cultura e conhecimento, principalmente aqui no Brasil, é necessário se tornar um pouco “altista”, pois se a gente escuta o mundo acaba desanimando e seguindo outros rumos.

5 - 10676388_673839259400249_461056342925447086_n

Livros com Pipoca: Como é sua rotina para escrever? Tem alguma rotina para escrever, alguma disciplina, um horário determinado ou escreve quando surge oportunidade?
Francélia Pereira: Comecei a escrever o Habitantes do Cosmos logo após terminar minha monografia, na época, final de 2013, eu ainda era estagiária em uma editora. Eu já estava em um ritmo acelerado de escrita, e esse ritmo segue até hoje. Escrevi o Habitantes do Cosmos em dois meses, o Artemísia em um mês e, entre um e outro, escrevi os poemas e os contos também. O terceiro volume da série Habitantes do Cosmos também já está no início, tem um projeto de HQ que está tomando bastante tempo em pesquisa e na elaboração do texto do roteiro, que estou adorando fazer, e tenho escrito bastante para o blog Pindorama, enfim, enquanto as “Musas” estiverem por perto, minha rotina será essa, de escrever o tempo todo. Já durmo com o celular do lado, pois é muito comum acordar de madrugada com alguma inspiração que, se não for anotada logo, acabará se perdendo pela manhã.
Livros com Pipoca: As histórias “se escrevem” sozinhas ou o você pensa na trama inteira, seguindo depois um esquema previamente traçado?
Francélia Pereira: Como digo aos meus amigos, as histórias são “psicografadas”. Primeiro me vem a inspiração do tema, depois ela ganha vida própria, e, o mais interessante, as informações vão surgindo e se somando na trama.
Com o volume 3 a coisa está acontecendo de forma um pouco diferente. A história já está toda pronta na minha cabeça, e já fiz um esquema de tudo que pretendo desenvolver, mas, até agora, somente a introdução me veio como inspiração. Ainda me faltam algumas informações para desenvolver a história, acredito que ele vá demorar um pouco para ser concluído.
Livros com Pipoca: Como a literatura entrou em sua vida?
Francélia Pereira: A Literatura sempre esteve presente em minha vida. Mesmo antes de aprender a ler, meu pai já comprava pra mim as famosas revistinhas da Turma da Mônica. Eu era fã de “gibi” e ficava louca pra aprender a ler as histórias. Aos sete anos fui alfabetizada, e lembro até hoje da alegria que foi receber minha primeira carteirinha de biblioteca.
Livros com Pipoca: Quais são os escritores que prefere e que te influenciam?
Francélia Pereira: Gosto muito dos textos antigos, de todas as culturas, muitos deles não apresentam autoria e, em alguns casos, como de Homero, a autoria ainda é questionada; mas citando alguns autores, gosto muito do Homero, Hesíodo, Heródoto, Ovídio, dentre vários outros da cultura helênica e do helenismo; dos mais “novos” gosto do Aldous Huxley, Alan Moore, Franz Kafka, Clarice Lispector, Daniel Munduruku, Kaká Werá… Geralmente essa é uma pergunta difícil de responder, porque sempre me sinto injusta com algum autor que acabo esquecendo de citar, rs.
Livros com Pipoca: Quais são seus planos e projetos para o futuro próximo?
Francélia Pereira: Primeiro, me formar; e depois, começar outro curso, pretendo fazer Antropologia. Minha família é totalmente contra, já que esperam ansiosos o dia em que vou me tornar uma pessoa normal e arrumar um emprego digno, mas não tem jeito, meu mundo só faz sentido em meio a textos, pesquisas e produção do conhecimento. É uma pena eu ter nascido pobre, pois meu destino é passar necessidade, já que nunca vou parar de estudar;  e ganhar dinheiro com livros no Brasil é uma utopia.
O Blog agradece de coração o carinho e atenção que a autora Francélia dedicou ao blog e dedica sempre aos seus leitores!!!

 

2 - 1554551_1485828751680224_4434969433801729374_nEstudante de Letras, apaixonada por mitologia, poesia e ficção científica. Francélia nasceu em Belo Horizonte/MG em 1977. Estudou sânscrito em um curso de Extensão oferecido pela Universidade Federal de Minas Gerais; foi quando se apaixonou pela Linguagem e suas diversas manifestações. Atualmente é graduanda em Letras. Sua primeira publicação foi “O texto por trás das palavras“, um livro de poemas. “Habitantes do Cosmos” é seu primeiro romance.
“Em meus textos de ficção, tento apresentar um pouco da cultura ancestral do Brasil ; cultura que se encontra, na maioria das vezes, escondida atrás de obras eruditas ou dentro de nossas matas e florestas. Na poesia, tento apresentar um pouco do universo que me cerca; um pouco do meu mundo interior e dos mundos que observo em minha órbita”
Francélia pode ser encontrada no TWITTERFACEBOOKWATTPAD e WIDBOOK.
Então pessoal, gostaram da entrevista? Fiquem a vontade para dar pitacos e até mesmo fazerem algumas perguntas para a Francélia!!!
Abraços e beijos, Berma.

🙂

Entrevista com o autor brasileiro Leonardo Barros   Leave a comment

Olá Galera do Livros com Pipoca!

Neste fim de semana eu terminei o livro “Presságio – O Assassinato da Freira Nua” do autor brasileiro Leonardo Barros e na próxima quarta eu postarei aqui a resenha desse ótimo livro. Mas, enquanto isso, vou postar aqui uma entrevista que o autor concedeu ao programa Segundas Intenções da rádio 98 FM de Natal. A entrevista está bem bacana, ele dá informações muito legais a respeito do livro e também um pouco da dificuldade que todo autor tem em ver seus livros nas livrarias. Vale a pena ouvir essa entrevista, principalmente os leitores como eu que gostam de saber como os escritores conseguem nos presentear com personagens tão ricos e fantásticos, e ao mesmo tempo, tão humanos.

E aí o que acharam da entrevista? Gostaram?

Abraços e beijos, Berma.

 

Entrevistas com Cassandra Clare   Leave a comment

Olá pessoal!!!! Já vi várias entrevistas da Cassandra Clare na web e vou postar duas que acho muito interessantes, na qual ela comenta sobre o término das trilogias de “Os Instrumentos Mortais” e “As Peças Infernais“, e fala também dos novos projetos e sagas dos Caçadores das Sombras!!!!

 

Entrevista com a escritora Tati Bernardi   Leave a comment

Entrevista com a publicitária, cronista, roteirista e escritora Tati Bernardi. Ela já trabalhou como redatora publicitária em agências de peso como a W/Brasil, Leo Burnett, entre outras. Com quatro livros publicados e roteiros de sucesso na TV, Tati vem despontando no mercado. Durante o bate papo com Bruna Calmon ela conta algumas de suas histórias.

Publicado 25/04/2014 por Berma em Entrevistas, Escritores, Notícias

Etiquetado com ,

Entrevista com Alexandre Callari   Leave a comment

Segue abaixo uma entrevista muito legal que o Nefferson Ribeiro, do site “Meu Mundo Alternativo” (http://meumundo-alternativo.blogspot.com.br/) fez com o Alexandre Callari, escritor de “Apocalipse Zumbi – Os Primeiros Anos”.

Confiram a entrevista na íntegra:

********************************************************************

Resgatando um tema atual, os mortos-vivos, na entrevista, você irá encontrar seus futuros projetos, informação sobre os próximos volúmes de Apocalipse Zumbi e um papo cabeça sobre essas criaturas fascinantes, que levantam em busca de carne humana. Estão preparados?

Alexandre-Callari-Historia-Quadrinhos-HQ_ACRIMA20110709_0020_15

NR: Quais foram os maiores desafios que você enfrentou para conseguir lançar “Apocalipse Zumbi”?

Alexandre Callari: Precisei mostrar para a editora que o projeto era vendável. Todos sabem do potencial que vampiros, por exemplo, têm, porém só recentemente zumbis começaram a ganhar a grande mídia. Mas quando estávamos nas conversas preliminares, nem mesmo a adaptação da HQ The Walking Dead havia sido anunciada. Precisei convencê-los de algo que eu, por estar inserido no meio, vislumbrava como possível realidade (e felizmente estava certo). Não escrevi o livro e tentei vender o projeto, fiz o caminho inverso. Escrevi um bom projeto para tentar vender o livro. Nele, procurei mostrar a força que as zombiewalks têm em todo mundo e a quantidade de leitores em potencial. Quando o anúncio da série saiu, e principalmente a adaptação de World War Z, com um ator respeitável como Brad Pitt, ficou clara a força que o gênero tinha. A partir do estudo de mercado que fiz, a editora viu o campo que havia para ser explorado e deu sinal verde. O fato de ser o primeiro livro escrito por um brasileiro também ajudou.
NR: Não é difícil perceber o amor que você tem pelo gênero fantástico, a paixão como você narra os combates e a medida que seus personagens vão fazendo diversas homenagens e citações são exemplos disso. Mas você já teve vontade, ou até planos, de escrever sobre outras criaturas, como lobisomens e vampiros, por exemplo?

AC: Sim. Adoro vampiros e também demônios. Mas temos um expoente sensacional no Brasil, que é André Vianco. Tenho muito respeito pelo trabalho dele e não acho que alguém conseguirá obter sucesso em curto prazo escrevendo sobre vampiros no momento, com exceção da Giulia Moon. São dois autores que já estão firmes no mercado e acho que levará um tempo até que o público aceite outros que sigam essa linha. Fora isso, há centenas, na verdade milhares de temas e opções a serem explorados. Resolvi seguir em outra direção, pelo menos por enquanto. Quem sabe no futuro, eu escreva algo com demônios – tenho um conceito sensacional que irá chacoalhar até o esqueleto da vovó, mas como eu seria massacrado pela Igreja Católica e queimado em praça pública, é melhor segurar a onda.
NR: Hoje em dia, vivemos em uma época onde produções de vampiros tomaram conta dos cinemas e da televisão. Apesar disso, muitos acreditam que a era deles está prestes a acabar e que os zumbis tomarão seus lugares, como exemplo disso, posso citar a série The Walking Dead, que acabou virando fenômeno mundial. Você acha que os vampiros serão devorados pelos zumbis, ou eles têm chance de subsistir em harmonia?

Leia o resto deste post »

%d blogueiros gostam disto: