Armas e Artefatos (Weapons)   1 comment

SILMARILS

“Foram também os noldor os primeiros a aprender a criar pedras preciosas; e as mais belas de todas as gemas foram as Silmarils…”

Joias - Silmarils (Fëanor)

“Pois Fëanor, atingindo seu poder máximo, foi dominado por uma nova idéia, ou talvez lhe tivesse ocorrido alguma sombra de presságio do triste destino que se acercava. E ele se perguntava como a luz das Árvores, a glória do Reino Abençoado, poderia manter-se imperecível. Começou, então, um trabalho longo e secreto, para o qual recorreu a todo o seu conhecimento, seu poder e sua habilidade sutil. E, ao final de tudo, fez as Silmarils. Como três magníficas pedras preciosas eram elas na forma.”
“Contudo, esse cristal estava para as Silmarils como o corpo para os Filhos de Ilúvatar: a morada do fogo interior, que se encontra dentro dele e, ainda assim, em todas as suas partes; e que é sua vida. E o fogo interior das Silmarils, Fëanor criou a partir da fusão da luz das Árvores de Valinor, que ainda sobrevive nas jóias,  embora as Árvores já há muito tenham definhado e não brilhem mais. Portanto, mesmo na escuridão do cofre mais profundo, as Silmarils brilhavam com luz própria, como as estrelas de Varda; e, no entanto, como se de fato fossem seres vivos, elas se deleitavam na luz e a recebiam e refletiam em matizes mais maravilhosos do que antes.
Todos os que moravam em Aman ficaram maravilhados e se deleitavam com a obra de Fëanor. E Varda consagrou as Silmarils, para que dali em diante nenhuma carne mortal, nem mãos impuras, nem nada de mau, pudesse tocá-las, que não se queimasse e murchasse.”

barra

VALARÓMA (Trompa de Oromë)

Artefatos - Valaróma (Trompa de Oromë)

“É caçador de monstros e feras cruéis e adora cavalos e cães de caça, ama todas as árvores, motivo pelo qual é chamado de Aldaron e, pelos sindar, Tauron, o Senhor das Florestas. Nahar é o nome de seu cavalo, branco à luz do sol e prateado à noite, Valaróma é o nome da sua enorme trompa, cujo som se assemelha ao nascer do Sol escarlate, ou ao puro relâmpago que divide as nuvens. Mais alto que todas as trompas de suas hostes, ela era ouvida nos bosques que Yavanna fez surgir em Valinor; pois ali Oromë treinava sua gente e seus animais para perseguir as criaturas perversas de Melkor.”
“… Oromë costumava fazer soar a Valaróma, sua grande trompa, pelas planícies de Arda; nesse momento, as montanhas reverberavam o som, as sombras do mal fugiam, e o próprio Melkor tremia em Utumno, prevendo a ira que estava por vir.”

barra

  RINGIL (Espada de Fingolfin)

Espada - Ringil (Espada de Fingolfin)

“Fingolfin, entretanto, cintilava dentro da sombra como uma estrela; pois sua malha era recoberta de prata, e seu escudo azul era engastado com cristais. E ele sacou sua espada Ringil, que refulgia como o gelo.”
“Contudo, num golpe final e desesperado, Fingolfin lhe cortou o pé com Ringil, e o sangue jorrou negro e fumegante, enchendo os buracos feitos por Grond.”

barra

GROND (Martelo de Morgoth)

tumblr_msj9n1sAbl1s72jefo1_400

“Morgoth então ergueu bem alto Grond, o Martelo do Mundo Subterrâneo, e o fez baixar como um raio. Fingolfin, porém, deu um salto para o lado, e Grond abriu um tremendo buraco na terra, de onde jorraram fumaça e fogo.”

barra

 ELMO DE HADOR (Elmo de Húrin e de Túrin Turambar)

Elmo de Hador

“O Elmo de Hador foi depositado nas mãos de Thingol. Era feito de aço cinzento adornado com ouro e tinha gravadas runas de vit ória. Havia nele um poder que protegia quem o usasse de ferimento ou morte, pois a espada que o atacasse quebrar-se-ia e o dardo que o atingisse saltaria para o lado. Tinha sido forjado por Telchar, o ferreiro de Nogrod, cujos trabalhos eram famosos. Tinha uma viseira (no estilo das usadas pelos Anões nas suas forjas para protegerem os olhos) e o rosto de quem a usasse infundiria medo nos corações de todos quanto o observassem, mas estava protegido contra dardo e fogo. No seu cimo erguia-se, desafiadora, a imagem de Glaurung, o dragão, pois fora feito pouco depois de ele ter saído dos portões de Morgoth. Hador, e depois dele Galdor, haviam-no usado com freq üência na guerra, e os corações da hoste de Hithlum elevavam-se quando o viam erguido, bem alto, no meio da batalha, e gritavam: “Tem mais merecimento o Dragão de Dor-lómin do que o verme de ouro de Angband!”
[…]
Depois ocorreu-lhe um pensamento e mandou chamar Túrin, a quem disse que Morwen mandara para o seu filho uma coisa muito poderosa, a herança dos seus antepassados. – Aceita agora a Cabeça de Dragão do Norte -, disse-lhe, – e usa-a bem quando o tempo chegar.” (Os Filhos de Húrin)

barra

Anglachel (Espada de Beleg Cúthalion) / Gurthang (Espada de Túrin Turambar)

Anglachel

“Então Thingol disse a Beleg:
– Agora tenho esperança na demanda! Parti com os meus bons votos e, se o encontrardes, protegei-o e guiai-o como puderdes. Beleg Cúthalion, há muito que estais na vanguarda da defesa de Doriath e por muitos feitos de coragem e sabedoria merecestes os meus agradecimentos. Acima de todos eles colocarei a descoberta de Túrin. Nesta despedida pedi o que quiserdes, pois não vos será negado.
– Nesse caso, peço uma espada de valia, pois os Orcs atacam agora em grandes números e demasiado perto para um arco apenas, e a lâmina de que disponho não está à altura das armaduras deles.
– Escolhei entre todas as que possuo, excetuando apenas Aranrúth, que é minha.
Então Beleg escolheu Anglachel, que era uma espada de grande fama e assim chamada por ter sido feita de ferro caído do céu numa estrela incandescente. Fenderia todo o ferro escavado do solo. Uma única espada a ela se equiparava na Terra Média. Essa espada não entra nesta história, embora tenha sido feita do mesmo minério e pelo mesmo ferreiro; esse ferreiro era Eöl, o Elfo Negro, que tomou como esposa Aredhel, irmã de Turgon. Ele deu Anglachel a Thingol como paga, o que lamentou, por o deixar viver em Nan Elmoth; mas a outra espada, Anguirel, sua igual, guardou-a para si, até lhe ser roubada por Maeglin, seu filho.
Mas quando Thingol voltou o punho da Anglachel para Beleg, Melian olhou para a lâmina e disse:
– Há malignidade nessa espada. O coração do ferreiro ainda habita nela, e esse coração é negro. Ela não amará a mão que serve nem permanecerá muito tempo convosco.
– Apesar disso, empunhá-la-ei enquanto puder – respondeu Beleg; e, agradecendo ao rei, pegou na espada e partiu.” (Os Filhos de Húrin)
A espada Anglachel foi de novo forjada para ele pelos hábeis ferreiros de Nargothrond e, apesar de sempre negros, os seus gumes brilhavam com um fogo pálido. Então o próprio Túrin passou a ser conhecido em Nargothrond como Mormegil, o Espada Negra, em virtude dos rumores dos seus feitos com aquela arma; ele, porém, chamou à espada Gurthang, Ferro da Morte.” (Os Filhos de Húrin)

barra

Belthronding (Grande Arco de Beleg Cúthalion)

Beleg_Strongbow_belthronding 2

“Então Gwindor despertou Túrin para que o ajudasse a sepultar Beleg, e ele levantou-se como um sonâmbulo. Juntos depositaram Beleg numa campa pouco funda e colocaram ao seu lado Belthronding, o seu grande arco, que era feito de madeira de teixo preta.” (Os Filhos de Húrin)

 

 

publicado em 02/02/2015 por Berma

Uma resposta para “Armas e Artefatos (Weapons)

Assinar os comentários com RSS.

  1. Pingback: RINGIL (Espada de Fingolfin) | Livros com Pipoca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: